Labor Omnia Vincit, LOV 

Distribuidora, iMúsica
2015

 

Labor Omnia Vincit ou, simplesmente, LOV. Esse é o nome do novo disco de Toni Platão que, traduzido do latim para o português, significa "o trabalho tudo vence". Falada, a sigla pode ser entendida como Love, e isso não seria incorreto. Amor e trabalho são os ingredientes que temperam o álbum de nove músicas que vai ser lançado em plataforma digital.

 

Toni Platão interpreta magistralmente um repertório que mistura canções autorais como “Dias Estranhos” e “Você Não Sabe o Que Te Espera”, esta última em parceria com o artista plástico Cabelo, com clássicos da música brasileira como “Volta Por Cima”, de Paulo Vanzolini, e “Agora Quem Parte Sou”, de Paulo Sérgio, além de novidades como a balada “Deve Ser Isso Que Se Chama Amor”, de Alvin L., “Magia Negra”, de Donni Araújo, e “Já É Tarde”, de Márvio dos Anjos. Há ainda as releituras do clássico “My Cherie Amour”, de Stevie Wonder na versão de Ronnie Von, e de “I Never Cry”, de Alice Cooper.

 

LOV é rock`n and roll que canta o amor rasgado, maduro, com um discurso romântico, mas com os pés no chão. É possível perceber a compreensão da finitude da vida, dos sentimentos, do amor e a percepção de que, se as coisas podem não dar certo, elas certamente não vão dar.

 

Produzido por Berna Ceppas, foi um trabalho longo, suado. As gravações duraram quase dois anos, e, pelo estúdio, passaram alguns dos mais importantes músicos brasileiros. João Barone, Domenico Lancellotti e Marcelo Callado tocaram bateria. Pedro Sá dedilhou a  guitarra e  Dadi Carvalho, o baixo. Os arranjos de sopros foram escritos por Felipe Pinaud, e ainda há uma galeria de virtuoses que, citados aqui, ocupariam a página inteira.

 

Amor e trabalho, trabalho e amor. São esses os combustíveis de LOV, não por acaso a mesma combinação que move nossas vidas. É no trabalho e no amor que nos encontramos, que nos realizamos, que crescemos, aprendemos, conquistamos e perdemos também, por que não?  Com trabalho tudo é possível; no amor, tudo é imprevisível !

“Eu sou um cara que acredita em canção, eu gosto de canção! LOV  é um disco de canções diretas, simples harmonicamente e melodicamente. Eu sempre acreditei que a simplicidade

e a sofisticação andam juntas, são irmãs. E o álbum reflete isso. Tem um discurso romântico adulto com um grau de poesia que às vezes é sofisticado e às vezes extremamente direto, objetivo. Ao mesmo tempo, LOV é um trabalho muito vigoroso, intenso, orgânico mesmo,

tocado com energia, cantado com vigor, com força e sentimento, com firmeza musical.
Não é um álbum de muitas notas, mas de notas muito contundentes. Não é pessimista

e nem otimista, é a vida que está ali, viva, respirando,

intensa e sem perder a ternura!"

DIAS ESTRANHOS

Toni Platão

DADI baixo / MARCELO CALLADO bateria / BUBU guitarra / SERGIO DIAB violão / STEPHANE SAN JUAN percussão

TONI PLATÃO riff guitarra / BERNA CEPPAS guitarra trêmula

MAGIA NEGRA

Donni Araújo

BUBU baixo / MARCELO CALLADO bateria / DADI guitarra / STEPHANE SAN JUAN percussão / SERGIO DIAB violão, violão resonator e guitarra

BERNA CEPPAS lap steel, órgão e programação (percussão e cordas)

DEVE SER ISSO QUE SE CHAMA AMOR

Alvin L

DADI baixo / JOÃO BARONE bateria / PEDRO SÁ guitarras / SÉRGIO DIAB e-bow, violão resonator e violão / RODRIGO RAMALHO acordeom

STEPHANE SAN JUAN percussão / ROBERTO POLLO piano elétrico

JÁ É TARDE

Márvio dos Anjos

ROBERTO POLLO piano / DADI baixo / JOÃO BARONE bateria / PEDRO SÁ guitarras / SERGIO DIAB violão

STEPHANE SAN JUAN percussão 

VOCÊ NÃO SABE O QUE TE ESPERA

Cabelo / Toni Platão

PEDRO SÁ guitarras / DADI contrabaixo / MARCELO CALLADO bateria / STEPHANE SAN JUAN percussão / ALTAIR trompetes

ROBERTO POLLO orgão / BERNA CEPPAS mellotron e percussão programada

AGORA QUEM PARTE SOU EU

Paulo Sérgio

DADI contrabaixo / MARCELO CALLADO bateria / PEDRO SÁ guitarras / STEPHANE SAN JUAN percussão / ROBERTO POLLO orgão

TONI PLATÃO violão resonator / BERNA CEPPAS tubular bells e assovio

I NEVER CRY

Alice Cooper / Dick Wagner

PEDRO SÁ guitarras

VOLTA POR CIMA

Paulo Vanzolini

DADI baixo / DOMENICO LANCELLOTTI bateria / PEDRO SÁ guitarra / STEPHANE SAN JUAN percussão

TONI PLATÃO violão

MY CHERIE AMOUR

Stevie Wonder / Sylvia Moy / Henry Cosby - versão Ronnie Von

DADI contrabaixo / DOMENICO LANCELLOTTI bateria / PEDRO SÁ guitarras / STEPHANE SAN JUAN percussão

FELIPE PINAUD flautas / ROBERTO POLLO wurlitzer e clarinete  / BERNA CEPPAS sintetizador

 

METAIS

ALTAIR MARTINS trompete / ZÉ BIGORNA sax / SERGIO GALVÃO sax

BIDÚ trombone / MARLON SETTE trombone

 

CORDAS

HUGO PILGER violoncello / CARLOS MENDES violin / RICARDO AMADO violin / CECÍLIA MENDES viola

 

CORO

CRIS CAFFARELLI / PATTY CAMARDELLA / GUSTAVO CAMARDELLA / RODRIGO RAMALHO

Please reload

Produção Musical BERNA CEPPAS

Gravado nos estúdios Monoaural e Maravilha8 por

MARTIN SCIAN / LEO MOREIRA / PEDRO TAMBELLINI / DANIEL CARVALHO

Mixado no estúdio Monoaural por DANIEL CARVALHO

Masterizado no Magic Master por RICARDO GARCIA 

Arranjo de cordas e metais FELIPE PINAUD 

Fotos MILTON MONTENEGRO